O Vanessa Kirby Brasil é um fã-site dedicado à atriz britânica Vanessa Kirby, sendo a primeira e mais completa fonte de informações sobre a própria no Brasil. Feito de fãs para fãs, o VKBR não possui fins lucrativos, tampouco mantém afiliações com Vanessa ou sua equipe, amigos e familiares. O intuito do site é unicamente expandir o trabalho da Vanessa, por meio da divulgação de notícias. Fique a vontade para desfrutar de todo o nosso conteúdo e volte sempre!

Durante a primeira meia hora do filme ‘Pieces of a Woman‘, Vanessa Kirby finge dar à luz. Ela respira pesadamente, xinga, se contorce nua na banheira. Mas o bebê está morto. Isso não é um spoiler: o filme é sobre o seu processo de luto de um ano enquanto a sua personagem, Martha, continua lidando com a dor e a culpa. O filme não bagunça. Kirby vai deixá-lo abalado enquanto segue para receber inúmeras indicações de Melhor Atriz para adicionar ao prêmio que ela ganhou pelo papel no Festival de Cinema de Veneza no ano passado.

O problema para Kirby era que ela nunca tinha dado à luz. E, ao contrário de, digamos, dirigir um carro, trazer vida ao mundo não é fácil de imitar se você nunca o fez. Retratar a personagem complexa da Princesa Margaret para duas temporadas de ‘The Crown‘? Simples em comparação com a agonia sofrida no parto. Diante disso, Kirby fez o que qualquer pessoa normal faria e contatou o Hospital Whittington em Londres para perguntar se ela poderia observar um nascimento. E uma mulher disse que sim.

Eu entrei de uniforme”, lembra Kirby. “Pedimos permissão e, inacreditavelmente, ela disse que sim. Não tenho certeza se eu faria. Alguma atriz aleatória lá.” A mulher estava drogada? “Não! Sem drogas. Mas ela estava viajando, se é que você me entende. De qualquer forma, sentei-me ao lado dela na cama e acenei vagamente. Eu estava pasma. A mãe dela também estava lá. Quase não respirei por seis horas.” Ela ofereceu incentivo? “Não! Você pode imaginar? ‘Vá em frente, garota!’ Não, eu fiquei em silêncio. Foi uma conquista maior do que já vi alguém fazer. Havia fórceps.

A certa altura, ela olhou para mim”, continua Kirby. “No meio de uma contração difícil. Eu mandei um beijo para ela. Por quê? Tão vergonhoso. E quando ele nasceu, as enfermeiras me trouxeram para vê-lo sair. Eu estava chorando muito. Todas as cores voltaram para a mãe. Foi sagrado. E então fui apresentada, e eles disseram, ‘Oh Deus, Princesa Margaret!’

Kirby, 32, é uma companhia boa e despreocupada, exibindo um nível decente de incredulidade sobre as coisas ridículas que faz para viver. Nesse aspecto, ela não é diferente de Claire Foy, a sua coestrela em ‘The Crown‘. E como Foy, que assumiu o papel de Lisbeth Salander depois de sua passagem como Rainha, Kirby está encontrando maneiras de garantir que as pessoas não a conheçam apenas por interpretar a realeza. ‘Pieces of a Woman‘ fará isso.

Assim como o seu papel em ‘The World to Come‘, no qual ela interpreta uma entediada mulher americana de meados do século 19 que escapa de uma vida sufocante de pioneira tendo um caso lésbico com uma vizinha.

Ela está assistindo a nova temporada de ‘The Crown‘ com os seus pais. Eles fazem dois episódios todos os domingos. Ela está aliviada por estar fora disso. Quando ela estava na série, os eventos retratados não eram tão recentes na consciência pública como são agora, então houve menos escrutínio do roteiro, nenhuma grande controvérsia sobre fatos e ficção, nenhum ministro pedindo advertências pré-crédito.

Eu não sabia nada sobre a Princesa Margaret”, ela admite. “E desde a década de 1950, tudo que você podia encontrar eram pequenos clipes de suas coisas de abertura, como barcos. Tive de encontrar momentos em que o seu microfone foi deixado ligado e ela fez um comentário fulminante. Eu teria me sentido assustada se fosse mais perto de hoje. É mais atual. Mais polêmico.

Nós nos encontramos no mês passado para um café – Kirby adorou estar conversando cara a cara depois de um ano de Zoom. Ela começou no teatro (foi indicada três vezes para o prêmio Ian Charleson para jovens atores em papéis clássicos), então gosta das reações que as pessoas recebem e dão pessoalmente. Mesmo que tivéssemos que nos encontrar fora e estivesse um pouco frio. Ela está toda de preto. Isto é, ela diz, o seu uniforme, em vez de, digamos, uma roupa que combine com a desgraça de seus dois novos filmes.

Pouco depois de nos conhecermos, foi anunciado que Shia LaBeouf – que interpreta o parceiro de Martha, Sean, em ‘Pieces of a Woman‘ – estava sendo processado pela estrela pop FKA Twigs por agressão sexual e violência. Em uma resposta, LaBeouf disse que tinha sido “abusivo” consigo mesmo e com os outros e “lamentava“. Em um mundo ideal, os supostos crimes de um ator não apareceriam em uma entrevista com sua coestrela. No entanto, no filme, Sean tenta forçar Martha a fazer sexo que ela não deseja. Ele também joga uma bola de medicina em seu rosto. Ambos ecoam claramente as alegações que Twigs fez contra LaBeouf e, naturalmente, muitos assistirão ao filme pensando exatamente isso.

Solicitada sobre um comentário após a nossa entrevista, ela simplesmente disse: “Estou com todas as sobreviventes de abuso e respeito a coragem de qualquer pessoa que diga a sua verdade. Em relação às notícias recentes, não posso comentar sobre um processo legal em andamento.

Kirby guarda a sua taça Volpi – o prêmio de atuação que ganhou em Veneza – na casa que divide no sul de Londres com a sua irmã e duas amigas. “É enorme”, diz ela sobre o troféu. “Como um copo de natação.” Algumas semanas atrás, amigos pediram para vê-lo, assim como o BAFTA que ela ganhou por ‘The Crown‘. Kirby ficou parada, observando-os tirar fotos, e teve um momento. Quando adolescente, ela fez um teste para atuar em um banco, para estar em um vídeo para entrevistados. Ela deveria usar terno, mas não tinha, então, em vez disso, usou o uniforme escolar de sua irmã. Ela não conseguiu o emprego, mas se lembra do dia com nitidez. Assim como ela se lembra das três vezes em que foi rejeitada na escola de teatro e pensa neles agora simplesmente como momentos, momentos ruins, a caminho de amigos chegando e posando com os seus troféus.

Ela tem uma atitude semelhante com as meninas que a intimidaram na escola. “Na verdade, trabalhei muito nisso”, diz ela. “É importante avaliar o porquê. Por que você? Posso olhar para trás e pensar em mim mesma como uma vítima, ou posso dizer: ‘Foi porque eu era muito sensível’. Não tinha resiliência.” Ela faz uma pausa. “Eu não sei. Mas grande parte disso foi encontrar maneiras de me sentir aceita, e me senti realmente aceita fazendo drama. Você pode bagunçar como um idiota e ninguém vai te julgar por isso.

Isso tudo é muito “crescimento pessoal”, mas deve ser divertido para ela pensar que aqueles valentões estão olhando para ela agora? Como Margaret. Chamada de “a melhor atriz de palco de sua geração” pela Variety. Como Miss Julie no National Theatre. Stella em ‘Um Bonde Chamado Desejo‘, com Gillian Anderson. “Não faço ideia. Você não pensa sobre isso, não é? Eu realmente não sei.

Que tal com Tom Cruise no extremamente agradável ‘Missão: Impossível – Efeito Fallout‘? Aquele em que Cruise luta contra um helicóptero. Ela está atualmente gravando uma sequência com mais precauções Covid-19 do que acrobacias, mas ela parece animada por estar de volta e não tinha lido a entrevista que Thandie Newton deu este ano sobre ‘Missão: Impossível II‘, na qual ela admitiu que estava “com tanto medo de Tom… um indivíduo muito dominante”. A experiência de Kirby com Cruise foi a de um homem que parou para se desculpar com figurantes que encontrou durante as filmagens.

Existem outras coisas em sua mente. “Você viu no cinema? Que estressante”, ela deixa escapar quando eu digo a ela que assisti ‘Pieces of a Woman‘ em tela cheia, ao contrário de como a maioria – em casa na Netflix. Ela diz que é estranho que vimos tão poucos nascimentos na tela, mas estamos inundados de mortes, e ela tem razão. Nós nos sentimos desconfortáveis? Provavelmente. Também tem a ver com nudez, que os censores consideram pior do que a violência. Na verdade, a morte de uma criança tende a ser tratada apenas em filmes de terror como ‘Inverno de Sangue em Veneza‘ ou ‘Hereditário‘ – “Isso não é revelador?” – mas, eu sugiro, a falta de bebês nascidos na tela tem a ver principalmente com os homens estarem atrás das câmeras.

Totalmente,” ela diz. “E depois de ler o roteiro, comecei a falar com mulheres, e em todos os lugares alguém tinha uma história semelhante. Aconteceu na minha família. Amigos de amigos. O que me atingiu foi que as pessoas não tinham encontrado uma maneira de resolver isso. Não é algo que seja fácil, coletivamente, para alguém falar, e isso foi desconcertante para mim. Esse nível de dor e tristeza? É tão importante ser compartilhado. Talvez alguém assista por engano, sem saber do que se trata, e então se volte para a pessoa ao lado e diga que aconteceu com ela, mas ela nunca falou sobre isso. Eles saberão que não foram apenas eles.

O pai de Kirby, Roger, é um cirurgião de próstata aposentado, tão conhecido que a sua página na Wikipédia é atualmente mais longa do que a de sua filha. Ele adora teatro, então a carreira que ela escolheu estava bem para ele, mas, eu pergunto, arriscando um pouco de analista amador nela – “Vá em frente…” – se essa nova urgência por um trabalho que, bem, importa é ela tentando fazer algo importante como o seu pai fez?

Talvez“, ela concorda. “Eu não tinha certeza de qual era a minha parte além de servir a uma história, mas estou entrando em uma fase em que sinto que tenho uma responsabilidade e algo a dizer, já que tudo o que fazemos é digerido pelas pessoas. É por isso que assisto a filmes – para mudar a forma como penso sobre algo ou para me fazer reconhecer uma parte de mim mesma. Leva muito tempo para você descobrir como não apenas fazer parte de um grande todo.

E como o seu papel no filme de ação ‘Hobbs & Shaw‘ – um spin-off de 2019 de ‘Velozes e Furiosos‘ – se encaixa nisso? “Bem, foi um desafio para mim mesma”, diz Kirby, com cautela, diplomaticamente. “Foi diferente do que eu tinha feito antes. E muitas pessoas amam esses filmes. Muito mais do que um pequeno indie sobre a morte de um bebê. E então eu acho, no ecossistema do mundo, se fazer aquele filme significa que mais pessoas vejam ‘Pieces of a Woman’? Bem, isso é muito importante para mim.

Pieces of a Woman‘ estará na Netflix a partir de quinta-feira.

Fonte I Traduzido e Adaptado por: Laura I Equipe do VKBR

deixe seu comentário






parceiros
O Vanessa Kirby Brasil é um site sem fins lucrativos feito de fãs para fãs. Não possuímos nenhum contato com Vanessa Kirby, seus representantes ou familiares. Tudo o que publicamos é com o intuito de entreter e informar o nosso visitante. As imagens e materiais de mídia são publicados com base na lei americana de Direitos Autorais Fair Copyright Law 107 e são de propriedade de seus respectivos donos e representantes oficiais. Não pretendemos nenhuma violação de direitos autorais. Caso possua alguma reclamação sobre qualquer arquivo, por favor, entre em contato para que a(s) imagem(s) em questão seja(m) imediatamente removida(s).